quinta-feira, 11 de junho de 2009

Advogado do Diabo


Um advogado vai trabalhar em uma poderosa firma e aos poucos descobre um esquema sujo de corrupção. Não, não estamos falando de "A Firma", sucesso de 1995 com Tom Cruise no elenco. Tampouco de qualquer outro filme baseado em livros de Jonh Grisham, que sempre trazem advogados como personagens principais. Estamos falando de "Advogado do Diabo", filme injustamente ignorado pela crítica que caiu nas graças do público brasileiro.

Na opinião de muita gente, "Advogado do Diabo" é exemplo de bom filme. É tenso, é grandioso, é assustador. Mais que isso, é reflexivo. E muito. Evoca discussões antigas do caráter do ser humano como livre arbítrio, vaidade, cobiça e desonestidade. É um filme que choca, faz o espectador parar para pensar no que acabou de ver. Faz o espectador ter uma reação, podendo esta ser positiva ou negativa. O público, em geral, não gosta disso. Vai ao cinema não para pensar, mas para descansar dos problemas que a vida cotidiana traz e que são sempre estressantes. Gosta de ir ao cinema com a família e com os amigos, rir, comer, engasgar e logo esquecer do que se trata. Talvez isso explique o sucesso de filmes como os de Arnold Scharwzenegger e Sylvester Stallone. E talvez explique a gélida recepção nas bilheterias de "Advogado do Diabo".

O filme foi lançado no final do ano de 97, época em que os filmes são praticamente despejados nos cinemas em busca de uma indicação ao Oscar e de uma fatia gorda da bilheteria. O drama de Taylor Hackford não conseguiu uma coisa nem outra. Injustiça. É um dos melhores filmes da época. E apesar de não ser uma obra prima e ter alguns defeitos, é uma obra de grande qualidade.

Kevin Lomax (Keanu Reeves) é um promissor advogado de uma cidade americana que está no ponto mais alto de sua carreira. Sempre ganha os casos, sem se importar com a veracidade das provas. É querido pelos amigos e amado pela esposa Mary Ann (a bela sul-africana Charlize Theron). Tem uma vida considerada perfeita pelo famoso American Way of Life. É quando, durante uma festa, ele recebe um convite para trabalhar em Nova York na empresa de Jonh Milton (Al Pacino) um poderoso advogado da metrópole. De mala e cuia, Kevin parte para a big apple junto com a esposa e entra num mundo de riqueza e glamour. Mora em um apartamento espaçoso e confortável, é convidado para festas da sociedade nova iorquina e tem os mais ricos clientes, grandes empresários de Manhattan. É claro que não podia ser tudo perfeito e logo ele descobre que está defendendo a pior escória da humanidade e que seu chefe é mais diabólico do que parece. Tudo isso enquanto um grande caso de assassinato, aparentemente sem solução, é passado para as mãos de Kevin, deixando-o sem tempo algum para cuidar de sua vida particular e de sua mulher, que começa a ser envolvida no mundo de falsidades da empresa e que parece estar enlouquecendo. Quer mais? Sua mãe, uma protestante fervorosa, parte para a cidade e desconfia que as coisas não estão nada bem. Tudo isso põe o advogado em uma situação onde é até difícil de respirar.

"Você trabalha sob pressão?" pergunta Jonh Milton a seu novo funcionário logo na primeira entrevista. Esta parece ser a pergunta que resume boa parte do clima do filme, que começa leve e aos poucos vai se fechando e criando uma tensão inigualável onde até o espectador parece não agüentar. Boa parte desta sensação angustiante se deve é claro, ao roteiro. Mas se não fosse pelo ótimo elenco, o filme realmente não funcionaria tão bem. Keanu Reeves é o mesmo de sempre, com uma atuação correta que não prejudica o andamento do filme. Já Al Pacino está de tirar o chapéu com um personagem extremamente divertido e canastrão. Mas quem tem o diabo no corpo é mesmo Charlize Theron, uma das grandes descobertas de Hollywood. Ela não é só bonita e deslumbrante, mas também talentosa. Com sua personagem, que vai perdendo a sanidade ao longo do filme, ela representa o espectador: aquele que vê o que esta acontecendo mas não pode fazer nada para impedir. Um personagem crucial que tem boa parte das melhores cenas do filme, inclusive uma, lá pro final, dentro da New York Cathedral, que é de cair o queixo.

Com essas qualidades, "Advogado do Diabo" vale o preço da locação. Quando o filme chegar no seu final (excelente, diga-se de passagem) o espectador terá a impressão que presenciou uma aula sobre a natureza humana. E perceberá que realmente é impossível ficar indiferente ao filme. E isso já é, com certeza, um bom motivo para assistí-lo.

Trailer do Filme

Download do Filme

Nome Original: The Devil’s Advocate
Gênero: Suspense
Formato: RMVB
Duração: 143 minutos
Tamanho: 417 Mb
Áudio: Filme Legendado
Qualidade: DVD

Um comentário:

  1. Parabéns pelo texto, Guilherme! Muito bem escrito!

    ResponderExcluir